2 vezes que Ricardo Darín foi espetácular

O ator argentino Ricardo Darin que costuma arrancar suspiros em todas as suas atuações como nos os filmes O Segredo dos Seus Olhos, Relatos Selvagens e o recente Truman, também surpreende em suas entrevistas e declarações sobre a sua vida fora das telonas e do teatro.

Darin:

Descobrimos o Darin tarde, talvez seja porque apenas 10% dos filmes produzidos pelos argentinos chegam a ser exibidos no Brasil. O que é uma pena porque adoramos visitar a argentina, comer alfajor, beber vinhos argentinos, tirar fotos naquelas ruas incríveis pela cidade e promover ainda mais a rivalidade histórica presente no futebol. E mesmo assim os cinemas brasileiros estão mais preocupados em transmitir sequências de filmes hollywoodianos que não acrescentam nenhuma novidade.

A realidade é que sempre que vemos o nome ''Darin'' corremos para o cinema para ver o que mais um homem de 59 anos pode fazer para nos surpreender. Além do espetáculo que o ator dá nas telonas, fora, ele costuma nos dar uma aula sobre simplicidade.



O ator conta na entrevista acima que negou filmar com o famoso diretor americano Tony Sott, que certamente aumentaria seu sucesso e o volume da sua conta bancária. Mas Darín diz que já se sente realizado com sua carreira.

Já a outra entrevista passou no canal Brasil, o ator fala lindamente sobre as utopias:


A realidade é que quando Darín está em algum filme temos certeza de que a obra deve ser vista, seja pelo ator ou pela pessoa. Como até agora o ator não nos decepcionou, estou ansiosa para assistir o seu novo trabalho, Truman

Com amor, 

Mochilas nas costas e um pedacinho da Europa

Ei gente! Fiquei sumida por um bom tempo por aqui, mas foi por um ótimo motivo: to vivenciando uma coisa maravilhosa aqui pela Europa! Pra quem não sabe, me mudei pra Alemanha no meio de dezembro do ano passado para vir estudar em uma escola Waldorf. Muitas coisas legais aconteceram, conheci pessoas incríveis, vivências totalmente novas, costumes diferentes, tudo muito barato (hehe) e a cada dia conheço cada vez mais esse país maravilhoso que oferece oportunidades para todos.

Nesse e muitos outros posts que vão vir por aí, quero trazer muita coisa nova, cultura, curiosidades, dicas, diversão e, principalmente, muito encanto! Ah, e também quero dicas e sugestões de vocês sobre o que vocês querem que eu aborde por aqui.
Neste meu primeiro post, "Mochilas nas costas e um pedacinho da Europa", vou trazer até vocês a viagem que fiz por 2 semanas com meu namorado e passei por 4 grandes capitais europeias: Amsterdam, Paris, Berlim e Praga. 
Fotinho de início de viagem, hehe!
Bom, começamos definitivamente nossa viagem no dia 26 de dezembro, e partimos de uma vila muito pequena no norte da Alemanha, onde passamos o natal. Estávamos muito ansiosos, pois seria nossa primeira viagem de mochila juntos e sobrevivendo com dinheiro contado! Alugamos quartos privados pelo site do Airbnb, porque era algo que saiu muito em conta, ainda mais que dividimos por 2 pessoas. Fizemos tudo de trem de uma cidade para outra, claro que tem passagens com preços bem salgados de trem, mas se você pesquisa com antecedência e ficar ligado em promoções (não só de trem), você consegue fazer super em conta já que é de um país para o outro.


Amsterdam
Nosso primeiro destino, foi a encantadora e conhecida pelos seus famosos canais e bicicletas, Amsterdam! Pra começar a falar desse lugar incrível, tenho que citar uma coisa importantíssima: se quiser ir à Amsterdam, vá com a cabeça super aberta, porque lá tem muitas coisas consideradas "tabus" para muitos brasileiros. Por exemplo: a maconha e a prostituição são legalizadas, então você vai ver sim pessoas fumando maconha por perto e com certeza você vai passar pela famosa "Red Light District" onde ficam as prostitutas nas vitrines ao decorrer de uma longa rua.
Claro que tem muitas outras coisas, mas aí você vai descobrir, o segredo é ir de cabeça aberta! Consegui ir em museus maravilhosos. Fui em 7 museus e não paguei nenhum, pela vantagem de ser menor de 18 anos. Os museus que mais gostei foram o do Van Gogh e um museu de fotografia que descobrimos no meio dos dias. Eu, sinceramente, nunca mais voltaria à Amsterdam em época de férias porque é mais lotado que o normal!

A Damrak, uma das principais avenidas de Amsterdam, é super lotada e não vale muito a pena passar por lá, pois tudo é muito caro e muito turístico. Uma coisa legal e essencial de se fazer na cidade, é alugar uma bike (uma Hollandrad, de preferência) e fazer uma grande tour pela cidade, já que ela é totalmente plana e não cansativa. Fiz isso por um dia inteiro e o legal, é se perder por Amsterdam, principalmente pelos canais. Em relação a comida a maioria das coisas são bem baratas! Você consegue se alimentar bem com pouca grana.
Uma dica legal também, é comprar coisas em mercados e cozinhar em casa (se você tiver alguma cozinha disponível para isso). É muito fácil se locomover por lá, pois tem muitas opções. Dispense aluguel de carros porque tem trens de rua, ônibus, metro, trem, a própria bike que já mencionei e, tchãm, seus próprios pés! Você pode comprar um ticket pro dia inteiro, paguei 5 euros por cada dia, no total 20 euros, e ele vale pros trens, metros, trens de rua e ônibus e até a barquinha se você precisar! E pra fechar, temos belíssimas tulipas por todos os lados, que dão o charme da cidade... e ah, quando estiver totalmente sol, que é raro, aproveite o máximo possível!


Paris
Já partindo para Paris, no dia 30 de dezembro, encontrei uma atmosfera totalmente diferente.
Pra mim, foi a cidade que menos gostei, pois achei tudo muito grande, ruas muito largas, cansativa e especialmente, muito cara, mas também não deixa de ser uma cidade muito bonita e legal!
Gostei muito do Louvre. É um museu que vale MUITO a pena de se visitar, mas você precisa de no mínimo uns 3 dias pra ver bastante coisa. Infelizmente, só consegui visitar uma parte, pois no outro dia que eu queria ir, no dia primeiro de janeiro, o museu estava fechado, mas muitas coisas por lá no dia de ano novo abriram depois de 12h. Foi ao Museu D'orsay, que é um museu com arte impressionista, e posso dizer que me encantei, principalmente com as esculturas que são belíssimas!

Fomos à Torre Eiffel, mas não subimos, porque era uma facadinha de leve... mas apreciamos bem a vista da basílica de Sacré Cœur, que tem uma vista incrível da cidade e inclusive da torre.
As estações de metrôs são bem charmosinhas, mas algumas não cheiram muito bem.
Passei o ano novo na avenida Champs-Élysées, uma das mais famosas de Paris, onde tem o Arc de Triomphe. Estava bem cheia e bonita, mas infelizmente não teve fogos por causa dos ataques terroristas que ocorreram em novembro do ano passado. Comer fora na cidade costuma ser bastante caro e foi por isso que eu e meu namorado compramos comida no mercado e cozinhamos em casa nos outros dias. Achei o acesso de transportes um pouco complicado também.
As estações de metrô são muito longes umas das outras e, como eu disse, Paris tem ruas bem largas e gigantes, então isso dificultou um pouco. Não lembro de ter visto ônibus e, infelizmente, é complicado alugar bicicletas por lá. Mas, ainda sim, gostei muito. É uma cidade repleta de história, então vale muito a pena!


Berlim
Partindo para Berlim, no dia 2 de janeiro, mudamos totalmente de visão.
Uma cidade bem cool e cheia de lugares e coisas legais para fazer. Cheia de cultura, com muitos cinemas, teatros, museus e shows. E por falar de neve, vi a primeira neve da minha vida em Berlim (hehe)! Nevou por dois dias e fez uma frio do cão, com sensações térmicas chegando a -19 graus! 
Mas nada impediu que a gente se divertisse, mas com um pouco de frio, claro.
Fomos à um cinema muito especial, o Ladenkino, que era bem pequenininho e só passava filmes mais desconhecidos, mas muito aconchegante e especial, você podia assistir filmes sentado simplesmente em um sofá!

Fomos ao museu Judeu (Jüdisches Museum) e vimos em detalhes a vida de um judeu na Alemanha antiga. Posso dizer que é um museu muito interessante e que vale muito a pena ir.
Fomos em outro museu de fotografia (Museum für Fotografie) que estava com duas exposições lindíssimas. Um bairro que vale muito a pena ir, é Friedrichshain. Lá é bem alternativo, onde tem restaurantes muito gostosos, inclusive uma Hamburgueria muito gostosa que se chama "BURGERAMT", que deixa qualquer um com água na boca, e também, é o bairro onde fica localizado o cinema especial que eu falei.
Pra fechar, fizemos um dia de atrações ao ar livre. Fomos ao memorial dos judeus, na Brandenburg Tor e em uma parte do antigo Muro de Berlim (Berliner Mauer), que foi preservada, na East Side Galery, também em Friedrichshain. Em relação a transportes e alimentação: transporte é algo bem fácil em Berlim assim como em Amsterdam! Paguei 33 euros por 5 dias para um cartão ilimitado que valia para ônibus, trens de rua (o famoso "Straßenbahn") e metrô.
Comer na rua por lá, é bem em conta. Aliás, alimentação em Berlim é uma parte bem barata, não precisa se preocupar muito com essa parte. Apesar do mega frio que passei por lá, voltaria amanhã com toda certeza!


Praga
Ah, o que falar dessa cidade maravilhosa de tirar o fôlego de qualquer um?!
Praga é simplesmente um destino que COM CERTEZA você tem que ir uma vez na sua vida!
Cheguei na cidade, no dia 7 de janeiro, e como nós, infelizmente tínhamos apenas 2 dias e meio por lá, descemos do trem e fomos dar aquele "rolezão" pela cidade. Em 5 horas conhecemos muitas coisas,mesmo estando um tempo nublado e com névoa, mas foi bem legal!
Fizemos tudo a pé nos dois dias que ficamos lá. Tudo é muito pertinho e prático de se achar. Visitamos o Castelo de Praga, que de lá de cima, tem uma vista incrível da cidade!
Visitamos também um museu aleatório de brinquedos chamado Franz Kafka, e outros pontos turísticos como o Relógio Astronômico e a Ponte Carlos, que é a mais velha da cidade.
Em relação a gastos, podem ficar tranquilos porque Praga é uma cidade muita barata, tanto para alimentação, lugar para ficar e transporte. A moeda não é o euro, e sim a Coroa Tcheca, 25 coroas valem mais ou menos 1 euro. Como fiquei poucos dias por lá, não consegui ver muita coisa, mas pretendo voltar no final desse ano para conhecer muito mais e contar tudo para vocês ;)


Cada vez mais apaixonada pela Europa e a procura de novas aventuras!

Beijos,
Nati

#Trend: Quanto mais Cactos melhor


Acredite, você vai ver cactos em todos os lugares. A Planta que não era muito desejada passou a aparecer constantemente no mundo da decoração e jardinagem e agora vamos vê-la com mais frequência. O Cacto virou estampa de t-shirts, moletons, tênis, vestidos e agora aparece até em acessórios. 



Por ter a predominância dos tons de verde a estampa é a cara do verão, ares tropicais e calor, mas isso não impede de usarmos no inverno, não é mesmo? A estampa da planta fica linda em tons escuros e claros.

A nossa amada Farm fez uma coleção lindíssima toda estampada na planta. Porém, na loja online só encontrei um top lindinho com a estampa, uma pena. @farm repete ai pra nóis! :P


Quem ai quer um cacto para chamar de seu? 

Com amor, 


SPFW N 41 | Isabela Capeto + Lenny Niemeyer

Já bateu saudade do SPFW? Para quem está com vontade de rever um pouquinho do que foi a semana de moda aqui em São Paulo, a hora é agora ;) Acompanhei os desfiles na Bienal a partir da quarta-feira (27), os escolhidos foram a coleção de verão 2017 das estilistas Isabela Capeto e Lenny Niemeyer

Ps: Peço mil desculpas pelo atraso do post, semana de entrega de trabalho na faculdade não é nada fácil :P 


Isabela Capeto se inspirou do mundo mágico de “Alice Através do Espelho”, olha a moda e o cinema ai minha gente! Peças delicadas e com ar super feminino foram apresentadas, muitas aplicações, texturas, transparências e peças fluidas.

A beleza contou com piercings e aplique no cabelo. Fora a passarela com um super cenário composto por um relógio gigante e o chão todo quadriculado, foi impossível não se apaixonar pelo mundo de Alice projetado pela Isabela.

Já a moda beachwear de Lenny Niemeyer apresentou a cultura milenar do Japão, mostrando sua tradição com estampas de animais como tigres e carpas, estampas e uma cartela de cores riquíssima mas contando também com cores em tons de pele.


O bacana é que por mais que a estilista tenha um grande foco em moda praia as peças são super versáteis e podem ser utilizadas no dia a dia sem a presença da areia, mar e Rio 40 graus.
A estilista declarou a FFW que a ideia dela foi fazer uma simulação de quanto a moda sai cada vez mais da areia. E pensar que antes a lycra era parte do submundo da moda.

Atenção novamente para as peças com caimento, a volta da jaqueta bomber, quimonos, alças e mais alças ;) 

Fotos: Mariana Modena e Baárbara Martinez

Com amor,